A Águas de Holambra, concessionária responsável pela gestão dos serviços de água e esgoto da cidade, realizou nesta quarta-feira, no bairro Camanducaia, uma reunião com os moradores da área para explicar detalhes sobre a implantação da Estação de Tratamento de Esgoto no local.

Jonatan Neves e Paulo Guerreiro Júnior, da área de Responsabilidade Social da empresa, falaram sobre procedimentos para solicitação da ligação de esgoto e a importância da construção das caixas de inspeção e de gordura. A médica veterinária Luciana Valéria Fernandes, que mora no bairro há 22 anos, participou do encontro e teve a oportunidade de esclarecer dúvidas. “Eu aguardo ansiosamente esta ligação. Quero ter a tranquilidade de saber que o esgoto está sendo coletado e tratado, sem ter a preocupação de ficar controlando o fluxo de limpeza da fossa”, afirmou a médica.

Moradora do local desde 2003, a analista da bolsa de valores Daniela Proença também esteve na reunião e ressaltou a importância da estação de tratamento. “Isso é muito importante para o meio ambiente e para nós, pois aumenta a nossa qualidade de vida. A gente tem um problema sério aqui com as fossas. A recorrência de limpeza era frequente e gerava um custo alto. Esperamos que funcione muito bem e que todo mundo consiga estar interligado a essa rede o mais rápido possível,” explicou Daneila.

Com capacidade para tratar 200m³ de efluentes por dia e atender a demanda das 80 chácaras que compõem a região do Camanducaia, a nova estação de tratamento de esgoto vai operar por meio de reator biológico de contato, conhecido como biodisco. O modelo, proveniente de tecnologia holandesa, funciona através da rotação de discos que geram o oxigênio necessário para que as bactérias realizem o tratamento e façam a conversão da matéria orgânica, sendo um sistema flexível e expansível.

“Essa ETE vai mudar a vida dos moradores do bairro e trazer reflexos positivos no que diz respeito à preservação ambiental”, disse o prefeito Fernando Fiori de Godoy. “Os moradores do Camanducaia aguardam há mais de 2 décadas por investimentos em esgotamento sanitário. Essa estação de tratamento é uma grande conquista.”