Procedimentos atestam a qualidade de armazenamento dos tanques

Nesta semana, o projeto de construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Camanducaia entra em uma importante fase de seu processo de implantação: a execução dos testes de estanqueidade dos tanques. A atividade está sendo conduzida pela área de Engenharia da concessionária Águas de Holambra.

O teste de estanqueidade é um procedimento realizado para detectar possíveis vazamentos de quaisquer proporções, além de identificar fissuras que possam ocasionar escoamento do efluente armazenado nos tanques. Essa verificação execução é estritamente importante para garantir a eficiência de reservação da estrutura.

Na prática, o processo consiste em encher de água os tanques em sua totalidade e monitorar, pelo período de 10 dias, se há alguma variação do nível do líquido armazenado. Caso seja constatada qualquer anormalidade, são executados os procedimentos de secagem do reservatório, correção das fissuras identificadas e por fim, a impermeabilização completa do dispositivo. Essa técnica será aplicada em todos os tanques, a fim de garantir o bom funcionamento do sistema antes da unidade começar a operar definitivamente.

Segundo o coordenador de Engenharia e Operações, Alan Pedra, a execução destes procedimentos é necessária para assegurar a alta performance da unidade operacional. “Planejamos uma estrutura de projeto apta a acompanhar a demanda da região, sem comprometer a eficiência e capacidade de atendimento a longo prazo, para isso, essa etapa dos testes é primordial para perpetuar a qualidade do sistema para os próximos anos”, explica o coordenador.

A obra, que está em estágio avançado de construção, já está finalizando a etapa de construção civil, que incluiu as seguintes fases: escavação e preparação do terreno; perfuração de estacas; montagem das formas e ferragem dos tanques; concretagem das paredes, laje e fundo dos tanques; desmontagem das formas; impermeabilização interna dos tanques; implantação de emissário e escada hidráulica.
Após a conclusão dos testes de estanqueidade, estão previstas a execução da instalação dos equipamentos da estação compacta, urbanização e adequações finais.” A expectativa é que a estação esteja em pleno funcionamento até o final do primeiro semestre de 2019”.

Sobre a nova ETE Camanducaia
Com capacidade para tratar 200m³ de efluentes por dia e atender a demanda das 80 chácaras que compõem a região do Camanducaia, a nova estação de tratamento de esgoto vai operar por meio de reator biológico de contato, conhecido como biodisco. O modelo, proveniente de tecnologia holandesa, funciona através da rotação de discos que geram o oxigênio necessário para que as bactérias realizem o tratamento e façam a conversão da matéria orgânica, sendo um sistema flexível e expansível.